Construções VI – O Estranho na formação: Confidências

Construções VI – O Estranho na formação: Confidências

Construções VI – O Estranho na formação: Confidências

Organizadores: Cecília Cruvinel (Org.), Alexandre Pantoja e Silvana Marta Santos Torres. Colaboração especial de Evelyn Pryzant

Instituição: Associação Brasileira de Candidatos – ABC

Edição: 2019, ABC/Bellelis Comunicação, São Paulo

E-mail: ceciliacruvinelpsicologia@gmail.com

 

Sobre a obra:

Com intuito de dialogar com a temática do XXVII Congresso Brasileiro de Psicanálise, “O Estranho – Inconfidências”, e com um contexto histórico de dificuldade de ter trabalhos dos candidatos para a publicação do livro, optamos por desmistificar o pavor diante da escritas e propor que todos pudessem, “apenas”, confidenciar seus estranhamentos no processo da formação psicanalítica.

Cecília Cruvinel (Instituto de Psicanálise da SBPMG)

 

Este é um convite para Construções. Para o livro e para a vida. Porque escrever é um exercício de construir os próprios pensamentos e de encontrar palavras que comuniquem e contenham algo da experiência emocional viva; esta, essencialmente, não verbal. Assim, como na vida e na sessão analítica, ao pensar sobre a escrita psicanalítica, deparo-me com o problema de como criar condições para que comunicações ocorram e sejam alcançadas. O que posso dizer sobre o meu escrever? Tenho experiências suficientes para recorrer, intimamente, que me permitam lançar um olhar sobre isso? Em primeiro lugar, o óbvio: o meu texto precisa ser meu. Não consigo escrever um texto que não venha de minhas vivências, inquietações, desafios, investigações psicanalíticas. Também precisa se parecer com meu modo de fazer psicanálise, seguindo a observação da experiência. A teorização, como na clínica, vem num segundo momento. Todo texto é uma Confidência.

Denise Zanin (Instituto de Psicanálise da SBPRP)