21.06 IV Congresso de Psicanálise em Língua Portuguesa: Rotas da Escravidão

 

O IV Congresso de Psicanálise em Língua Portuguesa: Rotas da Escravidão ocorrerá em Mindelo, no arquipélago de Cabo Verde, de 15 a 17 de novembro

[…] a herança arcaica dos seres humanos abrange não apenas disposições, mas também um tema geral: traços de memória da experiência de gerações anteriores (Freud 1939).

É um convite para adentrarmos num universo que possa refletir as origens e destinos de vivências traumáticas, suas repercussões na nossa constituição psíquica e social. Momento propício para ampliar os sentidos da célebre frase freudiana: O eu não é senhor em sua própria casa (1917). Sim, um eu invadido, submetido pelas demandas das duas instâncias, mais a verdade material – o ser escravizado pela força abusiva de um outro – oriunda da realidade externa.

Tempo de nos inquirirmos sobre as rotas, traçadas pelo desejo filicida e incestuoso do senhor sobre esse estrangeiro, que traz na negritude da sua pele a marca da diferença, que estranhamente revela as semelhanças. Tempo de propor novas cartografias para traços de memória da experiência de gerações anteriores, rompendo com as ideologias escravocratas, que proliferam assustadoramente tanto nos países colonizados como nos colonizadores no universo de países de língua portuguesa. Um passado revivido no século XXI pelas migrações autoimpostas às populações expulsas por questões políticas, religiosas e sociais, que tornam a vida impossível em seus lugares de origem.

Visando seguir pensando, criando e transformando, convocamos todos para se engajarem nesse processo e, ativamente, percorrer as rotas da escravidão. Em busca de trabalhar nossa herança arcaica traumática – o não passível de ser historizado – para que se faça história, com múltiplas formas de narrabilidade que nossa língua mãe nos proporciona: a magia das palavras (Freud, 1905).

Na expectativa de nos reencontrarmos em Cabo Verde,

Abraços,

Anette Blaya Luz / Presidente

Ignacio Alves Paim Filho / Diretor Científico      

Leda Herrmann / Diretora de Comunidade e Cultura

Ney Marinho / Assessor da Comissão Brasileira

 

Destacamos algumas informações importantes:

  • Público: evento aberto a profissionais e estudantes de várias áreas.
  • Programa: composto de mesas plenárias, mesas simultâneas, temas livres e discussão de casos clínicos (veja abaixo).
  • Local: Centro Cultural do Mindelo, que harmoniza arte e psicanálise;
  • Opções de hotel próximo do Centro Cultural: Hotel Oásis Atlântico Porto Grande – Praça Amilcar Cabral, Mindelo. www.oasisatlantico.com

          Diárias em quarto standard – single 82,00 euros, duplo 99 euros

  • Documentação necessária para cidadãos brasileiros: passaporte com validade superior a 6 meses e visto de entrada em Cabo Verde.
  • É necessário visto. Solicite-o na Embaixada de Cabo Verde em Brasília ou nos consulados em São Paulo e Rio de Janeiro
  • http://www.embcv.org.br/portal/modules/mastop_publish/?tac=Visto
  • Mais informações, envie e-mail para febrapsi@febrapsi.org (a/c Taís Maia
  • Para informações e reservas de voos e hotel, sugerimos contato com Alessandra Oliveira (Agência Brimpex de Belo Horizonte: (31) 3029.3822 | (31) 98422.5130 –alessandraoliveira@brimpex.com.br), que tem efetuado compra de passagens e reservas de hotéis para vários colegas congressistas. Obs: a Febrapsi não tem contrato com esta agência.

 

PROGRAMA
 
5ª FEIRA – 15 DE NOVEMBRO

18:00-18:45   ABERTURA
Presidentes das comissões organizadoras (Brasileira, Cabo-verdiana, Portuguesa)
Presidente da FEBRAPSI
Presidente/Representante da SPP
Representante Local
 
18:45-20:30   1ª Mesa Plenária
História e histórias de escravidão
Poetas e Escritores Cabo-verdianos

Mesa plenária com poetas e escritores cabo-verdianos
                                                                                                                  
20:30h Confraternização de boas vindas

6ª FEIRA – 16 DE NOVEMBRO

09:30-11:00   2ª Mesa Plenária
O ser e o Ter na contemporaneidade

Mesa redonda com 3 comunicações: Africana, Brasileira e Portuguesa
Moderação: não determinada
 
11:00-11:30   Pausa para café
 
11.30-13.00   Mesas redondas simultâneas
Sala 1 – Escravidão ou escravidões?

Moderação Africana, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 2 – Ecos do silêncio da escravatura contemporânea
 Moderação brasileira, 3 comunicações: africana / brasileira / portuguesa
Sala 3 – A perversidade/alienação da submissão
Moderação Portuguesa, 3 comunicações: Africana / Brasileira/ Portuguesa
 
13:00-15:00   Almoço
 
15:00-16.30   Mesas redondas simultâneas
Sala 1 – Branco e negro, que cicatrizes internas?

Moderação Africana, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 2 – Os custos do Ser Humano e o de Ser Humano
Moderação Brasileira, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 3 – Escravidão, voracidade e crueldade?
Moderação Portuguesa, 3 comunicações: Africana / Brasileira/ Portuguesa
 
16:30-17:00   Pausa para café
 
17:00-18.30    Temas Livres – Mesas redondas simultâneas
Sala 1
 Moderação Africana, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 2 Moderação Brasileira, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 3 Moderação Portuguesa, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 4 Moderação Africana, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
 
18:30   Momento cultural
 
20:30   Jantar/Convívio

SÁBADO – 17 DE NOVEMBRO
 
09:30-11:00   3ª Mesa Plenária
Melodias e Ruídos

Mesa redonda com 3 comunicações: Africana, Brasileira e Portuguesa
Moderação: não determinada
 
11:00-11:30   Pausa para café
 
11:30-13:00   Mesas redondas simultâneas
Sala 1 – Antigas e novas formas de racismo

Moderação Africana, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 2 – Mutilações no corpo e na alma
Moderação Brasileira, 3 comunicações: Africana / Brasileira / Portuguesa
Sala 3 – As mil e uma desigualdades…
Moderação Portuguesa, 3 comunicações: Africana / Brasileira/ Portuguesa
 
13:00-15:00   Almoço
 
15:00-17:00 Mesas de casos clínicos (4 mesas – 2 apresentações em cada uma e 1 comentador)
15:00-17:00 Psicodrama público (alternativa para não clínicos)
 
17:00-17.30   Pausa para café
 
17:30-19:00   4ª Mesa Plenária
Escravidão: lupus est homo homini lupus (o homem é o lobo do homem)

Mesa redonda com 3 comunicações: Africana, Brasileira e Portuguesa
Moderação: não determinada
 
19:00    Mesa de Encerramento
Escolha do país sede do futuro Congresso (2020)

 
 
Para outras informações, envie e-mail para Taís Maia: febrapsi@febrapsi.org .